Durante esta noite, mais uma vez me preparei para uma possível experiência extrafísica e como já descrevi aqui uma vez, antes de cair no sono, fiz uma prece a meus mentores para que me usassem nos trabalhos se eu fosse útil e me deitei me concentrando em uma luz que tento sempre suavemente projetar na minha testa, entre minhas sobrancelhas, calmamente esperando o sono tomar conta de mim.

Tomei a minha consciência em uma espécie de plataforma metálica, muito alta, eu estava com a minha esposa, não sei como tínhamos parado lá, só sabíamos que precisávamos usar um equipamento que eu tinha em mãos, que parecia um periscópio para ver além das nuvens que nos cobriam e procurar por uma estátua do Cristo Redentor.

Não acredito que estávamos no Rio de Janeiro, até porque toda boa cidade do interior tem uma estátua do Cristo! Eu moro no interior de São Paulo e no centro da minha cidade tem uma! Na cidade vizinha também tem! Logo é impossível precisar onde estávamos…

Uma vez que conseguimos ver o local pelo periscópio tomei um susto: A estátua não estava mais lá! Ficamos nos perguntando o que poderia ter acontecido com ela e enquanto fazíamos isso fomos teletransportados para o lugar onde a estátua deveria estar!

Havia um enorme grupo de pessoas lá, várias estátuas estavam no local e no ponto mais alto do lugar, jazia um platô vazio que seria o local onde deveria estar o Cristo! Olhei a nossa volta e este lugar era uma espécie de templo, ele não tinha teto, mas tinha muros muito altos alaranjados. Parei para apreciar as outras estátuas que estavam naquele lugar e para minha surpresa duas que delas eu pude reconhecer, eram estátuas de alguns mestres hindus: Krishna e Rama.

Um mestre chegou até mim vendo a minha preocupação quanto a estátua desaparecida e disse: Não se importe com ela, é só um símbolo! Faremos outra! O importante é ele estar em seu coração!

Satisfeito com a resposta dele, me virei em direção ao resto do público que estava presente no local, identificando no meio deles uma tia minha que admirava as outras estátuas intactas, com sua atenção voltada à imagem de Krishna.

– Ah, eu queria tanto gostar mais deste Krishna, mas não entendo nada sobre ele! (Ela me disse)

– Não se preocupe tia! Ele mesmo disse no Bhagavad Gita que não importasse a quem você adorasse, se o fizesse com todo Amor, também estaria se aproximando dele, pois ele, como nós, é a extensão do próprio Deus!* Mas não se preocupe, eu te mostro depois!

Com isso acabei voltando ao meu corpo com uma vontade imensa de mandar o livro para ela ler! Procurei na internet e enviei a ela!

Esta foi uma experiência muito confusa e quase sem nexo, me sinto feliz no entanto de no final poder tanto receber uma boa mensagem quanto poder passar uma com reflexos no nosso mundo físico o que nem sempre é possível! Vale lembrar para contextualizar aqui que Jesus Cristo é visto no Hinduísmo também como uma encarnação do Deus Vishnu, o que em dados práticos quer dizer que eles o consideram um grande mensageiro de Deus, assim como Rama e Krishna!

*O texto no Bhagavad Gita que eu parecia me referenciar é este que eu encontrei posteriormente: “… mesmo aqueles que adoram outras divindades com fé no coração, terminam por adorar a mim sem o saber. Apesar de seguirem numa via obstruída, onde ainda não podem me ver, isso não me impede de recompensar aqueles que são sinceros em sua adoração.” Krishna – Bhagavad Gita (9:23)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s